Flores Vaginas

Ao visitar países mais conservadores como Turquia, Israel e Abu-Dhabi, fui orientada a não grafitar minhas mulheres pois em certas comunidades não apreciavam a exibição da imagem da mulher. Iniciei a pintura de flores inofensivas para substitui-las, porém, inspirada em Georgia O’keefe, estas se transformaram em flores vaginas, e vaginas dentadas (Simone de Beauvoir). As maçãs que pintava anteriormente a partir do Mito de Eva, passaram a receber também vaginas. A partir de então, essas pinturas passaram a ser perseguidas, sofrendo censura, apagamentos, rasuras e até minha página do Facebook foi derrubada por conta delas. Nesta página, criei uma seleção de imagens que contam um pouco desta história.

Date
2015-2018

“Maçã Vagina”, 2015.
A partir de minha obsessão por EVA e sua representação no graffiti, espalhei pela cidade maçãs que com o tempo passaram a ganhar vaginas.

“Meu Corpo, Minhas Regras”, Lapa, 2015. Para subir o antigo graffiti de 2011 do que pintei do retrato do Bezerra da Silva na Lapa, criei essa imagem na qual aparece uma mulher com a maçã-vagina.

“Meu Corpo, Minhas Regras”, Lapa, 2015. Os Homens da Lapa não aceitaram a nova representação e então, vandalizaram a pintura.

“Meu Muro, Minhas Regras”, Lapa, 2015. Então em uma terceira camada, a pichação dava o recado.

“Femme Maison”, Sorocaba, 2017. O Graffiti da Lapa não ia ser o único hostilizado. Ao criar a imagem para o Palacete Scarpa em Sorocaba a convite da curadora Daniela Labra para o Frestas Trienal de Artes, um Pastor Vereador moveu um processo o acusando de envergonhar as mulheres.

“Femme Maison”, Sorocaba, 2017.

Somos Somas, Spray e óleo sobre tela, 2017. Obra do acervo Urban Nation que inspirou o mural de Sorocaba.

48 Sessão Ordinária da Câmara Municipal de Sorocaba onde o Pastor Vereador Luis Santos expressa seu repúdio ao graffiti pintado no Palacete Scarpa.

Poema da Vagina, 2017, 1'17". Meu video-resposta sobre Falos e Vaginas.

E por fim, o Graffiti Femme Maison foi apagado.

Liberte-se, Rio de Janeiro, 2016.

Flôr de Guadalupe, Spray e óleo sobre tela 90 X 70 cm. 2017.

Flôr de Dourada, Spray e óleo sobre tela 90 X 70 cm. 2017.

Flôr Dentada, Spray e óleo sobre tela 90 X 70 cm. 2017.

Flôr Dentada, Spray e óleo sobre tela 60 X 40 cm. 2017.

Flôr Dentada, Spray e óleo sobre tela 60 X 40 cm. 2017.

Vagina Dentada, Spray e óleo sobre tela 1,50 X 100 cm. 2018.

Vagina Dentada, Spray e óleo sobre tela 1,50 X 100 cm. 2018.

Performance Femme Maison Parte II. A7ma Galeria, 2018, onde eu tatuei o graffiti Sorocabano em Clara Averbuck e o público se voluntariou à receber pequenas flores tatuadas como um ato de resistência à censura.

Performance Femme Maison Parte II. A7ma Galeria, 2018, onde eu tatuei o graffiti Sorocabano em Clara Averbuck e o público se voluntariou à receber pequenas flores tatuadas como um ato de resistência à censura.

Performance Femme Maison Parte II. A7ma Galeria, 2018, onde eu tatuei o graffiti Sorocabano em Clara Averbuck e o público se voluntariou à receber pequenas flores tatuadas como um ato de resistência à censura.

Performance Femme Maison Parte II. A7ma Galeria, 2018, onde eu tatuei o graffiti Sorocabano em Clara Averbuck e o público se voluntariou à receber pequenas flores tatuadas como um ato de resistência à censura.

Performance Femme Maison Parte II. A7ma Galeria, 2018, onde eu tatuei o graffiti Sorocabano em Clara Averbuck e o público se voluntariou à receber pequenas flores tatuadas como um ato de resistência à censura.

Femme Maison, Gravura 60 X 40, 2018. série de 100. Serigrafia criada a partir da imagem do graffiti Sorocabano Censurado.